top of page

Se Plutão está associado à doenças, perdas, lutos e morte, como ele nos empodera?

Se Plutão está associado à doenças, perdas, lutos e morte, como ele nos empodera?

Como alguns de vocês sabem, meu marido (52 anos) se submeteu a uma colonoscopia de rotina semana passada. Depois dos 50, elas se tornam parte do check up, não sei se é anual ou tri-anual, tornando-se parte de uma avaliação a mais obrigatória com a carroceria (nosso corpo), que vai sofrendo os desgastes do tempo.


A colonoscopia é um procedimento relativamente simples, feito sob sedação, mas a preparação é - na minha opinião - um saco. Tipo 24 horas de jejum, mais uma quantidade abismal de laxantes, tudo para que possam ver com a câmera o seu colon, o seu intestino, e o que mais tiverem que ver.


Fui com ele pro hospital na manhã da sexta-feira com a expectativa de entrar e sair em 2 horas, no máximo. Mas ficamos 8 horas lá. Não só parecia haver muita gente fazendo o procedimento, mas o procedimento dele em si foi um pouco mais demorado.


PLUTÃO EM AQUÁRIO

Não é novidade pra ninguém que Plutão, ao entrar em Aquário, já está numa orbe de conjunção aplicativa (ampla) ao meu Sol, que está a 4 graus de Aquário. Por causa disso, quando fui ao Rio no ano passado, passei por uma extensa bateria de exames. Afinal, o Sol é vitalidade, energia física, e qualquer problema que o envolva pode aparecer no corpo físico. O que ninguém sabe - e nem eu me toquei - é que ao entrar em Aquário, Plutão quadrou de cara o Sol do meu marido, que está a 2 graus de Escorpião.


Mesmo sem ter me tocado disso, enchi o saco dele para que ele fizesse todos os exames possíveis e imagináveis no Rio comigo, em julho do ano passado, porque o Sol no mapa da mulher representa o arquétipo e a figura masculina significativa na vida dela. Logo, a conjunção de Plutão com o meu Sol poderia afetar a saúde dele também, pensei!


PLUTÃO-LUA EM CAPRICÓNIO

No entanto, Javier esteve com Plutão sobre a Lua nos últimos 3 anos (o que também pode falar de questões de saúde) e tudo que ele teve foi um problema de coluna terrível que, a principio, foi muito intenso, e depois "se acalmou" - mas nunca foi embora. Então, eu sentia que, de certa forma, ele já tinha atravessado o maior desafio.


Mas encontraram na colonoscopia dele um pólipo de 2.5 centímetros, que foi imediatamente retirado e enviado pra biópsia. O médico disse que aquele pólipo certamente continha câncer dentro dele, mas - segundo sua experiência - estava contido na massa retirada, sem tocar nenhum outro tecido ao redor. Mesmo assim, ele tirou uma porção adicional da área onde o mesmo se localizava, pra enviar também pro laboratório e se certificar de que sua avaliação foi correta. E, isso se confirmando, não há nada mais a fazer, além de voltar em um ano para nova colonoscopia. Se daqui a um ano não encontrarem nada novamente, ele volta ao calendário de fazer colonoscopia a cada 3 anos.


Quando soube do que tinham encontrado, de cara pensei "tá aí meu Plutão-Sol". Contei para uma amiga e aluna, e disse que não esperava nada diferente de Plutão. Ou seja, ter encontrado o pólipo foi surpreendente devido ao fato do Javier não ter nenhum sintoma, mas estando sob um trânsito de Plutão, eu considero esse evento absolutamente esperado. Foi aí que ela me disse: "Ué, mas se Plutão é empoderamento - como você fala que é - como ele pode ser a doença do Javier? De que forma a doença do Javier o empodera?"


SE PLUTÃO É EMPODERAMENTO, COMO ELE PODE SER DOENÇA?

No entanto, a pergunta correta não é: "Se Plutão é empoderamento, como ele pode ser a doença do Javier?", mas sim "De que forma essa doença estava, ou viria no futuro próximo, a desempoderar o Javier?"


Quando a gente pensa que Plutão é a doença do Javier, a gente está partindo da premissa que planetas fazem coisas com a gente. Saímos de um lugar de livre-arbítrio - ainda que parcial - para um lugar de puro destino. Neste lugar, a Astrologia só nos serve como uma mera ferramenta descritiva de eventos que não podemos mudar.


E isso vai 100% contra tudo que eu acredito e ensino sobre a Astrologia. A Astrologia, assim como Plutão, são veículos de empoderamento, se entendermos que podemos intervir, ainda que parcialmente, sobre aquilo que ela indica. Por isso, Plutão é empoderamento, SIM, mas para chegarmos ao poder que Plutão nos propõe, primeiro precisamos descobrir quais são as nossas falsas muletas de poder - e Plutão é mestre em apontar aquilo que não é genuíno em nossas vidas. E como isso se aplica ao pólipo pré-canceroso encontrado e retirado do Javier?


Javier sempre teve uma saúde MUITO boa. NUNCA esteve internado num hospital em TODA A SUA VIDA. Não sabia o que era anestesia até sexta passada. Havia ali, em relação à saúde, um sentimento de poder, de invencibilidade, por sempre ter sido esportista, por comer de forma saudável, por nunca ter passado por nenhum problema de saúde que exigisse internação, etc. Em 24 anos juntos, nunca vi um resultado de um exame de sangue do Javier que tenha vindo desregulado. NUNCA. Então podemos dizer que ali havia um EGO importante. Tanto que era pra ele ter feito esse exame há 2 anos e ele não fez.


Aí chega Plutão e, nem bem entra em Aquário, já entra em orbe de quadratura com o Sol dele - que representa o ego. Com isso, Plutão trouxe à tona algo que já estava ali, mas escondido (Plutão revela), crescendo, ganhando força nos recônditos do seu intestino. Tanto é que, ao final do procedimento, o médico disse que se ele tivesse feito a colonoscopia um ano mais tarde, a conversa entre eles seria bem diferente.


Javier ficou chocado. Se arrependeu por ter esperado. Fez eco nele a experiência. Eu não fiquei chocada. Não achei que tinha nada, mas esse é o tipo de evento que eu espero de Plutão. "Câncer?", minha aluna e amiga perguntaria. Não! A exposição do que está escondido, especialmente se aquilo estiver minando a nossa força, para eliminação, porque aquilo nos desempodera.


O pensamento correto no caso do meu marido é: "Javier tinha uma doença que o estava desempoderando e, com o trânsito de Plutão, isso foi trazido à tona para ser extirpado e eliminado."


SIM! O EMPODERAMENTO DE PLUTÃO!

Como eu sempre digo, Plutão empodera porque ele te revela o que está oculto - as coisas, situações e pessoas exatamente como elas são - o que acaba removendo falsas estruturas de poder das nossas vidas, como pessoas com quem pensávamos que podíamos contar, empregos que víamos como garantido pra vida toda, etc.


Acreditar que o planeta causa algo é retirar nosso livre-arbítrio e pensar que toda a nossa vida já está desenhada previamente, e que a nós não compete nada além de vivê-la e morrer, segundo alguém (Deus?), em algum lugar (no imponderável?), por alguma razão (sua vontade), decidiu pra gente. Mas a Astrologia é muito mais do que isso. Ela é uma ferramenta de antecipação de possíveis eventos para que possamos, com consciência, direcionar energias potencialmente difíceis.


QUANDO PLUTÃO ENTROU EM AQUÁRIO?

Plutão entrou em Aquário dia 20 e, de lá para cá, parece que todo dia tem um evento novo de saúde grave envolvendo uma pessoa próxima a mim, ou uma pessoa pública. Se olharmos os mapas dessas pessoas, certamente esse Plutão estará ativando algum ângulo ou planeta pessoal com um aspecto tenso. Por isso, eu criei as lives sobre Plutão em Aquário em aspectos com os planetas pessoais, nodos, asteróides, Lilith e Quíron: por que a gente precisa saber como se preparar para canalizar essa energia tão poderosa para transformação e crescimento pessoal.



1 comentário

1 Comment

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Rated 5 out of 5 stars.

Obrigada pela explicação Márcia, fez muito sentido para mim.

Like
bottom of page